One World Observatory (OWO)!

Hello!!

É com grande tristeza que digo que essa é a última postagem do blog… Desde a segunda-feira do dia 4 de Janeiro que coloco uma postagem toda semana aqui; hoje essa louca jornada dos relatos chega ao seu fim!

Para fechar esse ciclo com chave de ouro chamei mais uma vez para escrever aqui no blog uma das pessoas mais marcantes do meu intercâmbio: o Alex, que já apareceu em diversos relatos do blog ! (Para ler a outra postagem que ele escreveu, clique aqui!)

A postagem de hoje é sobre o One World Observatory (OWO), o prédio mais alto do ocidente e o principal do complexo World Trade Center. Como eu já havia visitado tanto o Empire State (clique aqui para ler) quanto o Rockfeller Center (clique aqui para ler) e havia visto a Big Apple de cima duas vezes, acabei preferindo não ir visitar o OWO. Assim, nesse dia o Alex foi visitá-lo com uma outra amiga nossa, a Simone!

O prédio, que está localizado no sul de Manhattan, havia sido recém inaugurado (no dia 29 de maio de 2015) quando o Alex e a Simone foram visitá-lo! Para chegar lá é só pegar o metrô e descer na estação World Trade Center; como a estação é nova e não tivemos a oportunidade de conhecê-la, não sabemos direito como ela funciona… Pelo o que pude entender quase todas as linhas que vão ao sul da cidade passam por ali!

Deixo aqui, a partir de agora, o relato do Alex!

Bom! Vamos lá!

Mais uma aventura na maravilhosa New York City! Nesse dia eu e a Simone fomos ao One World Observatory, é muito fácil de chegar! (Também, você consegue ver aquele monumento de longe!!). Hoje é bem mais fácil de ir até lá porque a estação de trem e metrô que está pronta te deixa na porta do edifício!

Como em qualquer ponto turístico, tem uma fila para comprar o ingresso para subir no prédio. A fila flui muito bem, não perdermos nem 10 minutos para comprar nossos ingressos. O ingresso custou 34 dólares; existem outros tipos de ingressos que você pode ver mais clicando aqui.

WhatsApp Image 2016-09-04 at 19.13.19

A entrada

Na hora de comprar decidimos comprar ingressos para o último horário da visitação, que é por volta das 22 horas. Decidimos ir nesse horário porque já havíamos visto NYC a luz do sol, só faltava vê-la durante a noite!

WhatsApp Image 2016-09-04 at 19.07.47

O horário chegou! Não sei se é por causa do horário mas foi tranquila nossa entrada, houve a revista de bolsas como em todo lugar e passamos o ingresso num leitor. O local é muito grande, mas sempre haverá um guarda que orienta para onde seguir.

O “tour” começa pelo subsolo do prédio que é realmente impressionante. Eles deixaram parte dos destroços do 11 de Setembro como sustentação desse novo edifício e cada ruína ou pedra tem uma mensagem muito emocionante juntamente com o nome das pessoas que faleceram.

No final do caminho no subsolo começam a se formar duas filas para pegar o elevador que vai até 104º andar. Esse elevador é outra coisa impressionante, é muito rápido e em 60 segundos você já está no topo! O interior do elevador é revestido de telas de LED que possuem a animação de elevador subindo, é incrível! Nessa subida gravei um vídeo que deixo para vocês assistirem…

Chegando ao topo e saindo do elevador existe uma salinha que te prepara uma surpresa… E QUE SURPRESA! Gravei essa parte da visita também!

Depois que sobem as telas, é uma experiência sem igual ver a linda NYC do topo! O local é um andar inteiro com visão 360 graus, revestido totalmente por vidros. É simplesmente uma visão perfeita da cidade; como pegamos o último horário estava tranquilo de andar e tirar milhares de fotos.

Há também no local uma área que conta a história de cada prédio que existe na cidade e uma área de conveniência.

Ao final da visita, o elevador desce rapidinho e você sai daquele lugar renovado depois de ter uma experiência maravilhosa!

E é assim que eu (e o Alex, é claro) nos despedimos… Muito obrigada por ter acompanhado o blog até aqui! E caso você seja novo, sinta-se a vontade para navegar!

Espero que tenha gostado da postagem! Continue acompanhando o blog pelo Facebook e não deixe de ler as outras postagens!

See you!! (I hope so!)

 

Talvez você goste também de:

Anúncios

O primeiro dia de aulas na EF NY + Tour para o Rockfeller Center!

Hello!!

Nesse dia, logo que acordei, a primeira coisa que vi foi que minhas outras duas roommates haviam chegado! Uma delas era espanhola e a outra russa. (Alguns dias depois a espanhola trocou de quarto e foi para o do lado para poder ficar junto da irmã gêmea; com isso uma dinamarquesa mudou para o G315). Depois de bater um papo fui tomar café juntamente com os brasileiros e a mexicana. Era o primeiro dia de aula, estávamos com as emoções a mil e não víamos a hora de conhecer um pouco mais daquele mundo.

No dia anterior (você pode ler tudo o que aconteceu clicando aqui) havia recebido um cronograma com todos os eventos para quem estaria começando os cursos naquele dia (05 de Julho de 2015).

IMG_1003

O post vai ser baseado nessa imagem, já que tudo o que fiz nesse dia foi baseado nesses horários.

Logo que terminamos o café, a maioria de nós se dirigiu até a frente do Spellman Auditorium onde recebemos algumas instruções e logo entramos. Lá a diretora da escola deu uma pequena palestra sobre o funcionamento do Campus e fez algumas atividades. Nesse dia a escola estava gravando um vídeo promocional na escola (clique aqui para ver) e todos nós tivemos que repetir uma série de vezes o que nos pediram para as gravações! A cena em questão é a última do vídeo!

Logo que saímos do Auditório fomos conduzidos por um infinidade de corredores até chegar em uma sala onde estavam fazendo uma nova verificação dos documentos, verificando os níveis dos testes de nivelamento e vendendo tanto vale-refeições (que eram 10 por 50 dólares) quanto os ingressos para o Welcome Tour. Depois de passar pela verificação dos documentos entramos em uma fila e uma moça veio falando com cada um. Ela explicava que tinha em mãos o resultado dos testes de nivelamento e que iria bater um papo para verificar se estávamos no nível correto. É uma conversa bem descontraída, ela me perguntou de onde eu era e o que eu iria fazer de faculdade. Com isso ela se despediu e pediu para que eu continuasse até a próxima fila se quisesse comprar alguma coisa.

WhatsApp-Image-20160525 (13)

É claro que ninguém perdeu a oportunidade de ir ao Welcome Tour e de cara já subir no Rockfeller Center! Custou U$ 55,00 a entrada mais o trem de ida e volta; alguns funcionários iriam ser nossos guias.

Depois disso fomos almoçar e tínhamos um tempinho até o horário do Tour. Aproveitei para conhecer um pouco mais minhas roommates e o Campus que já não era mais tão estranho assim!

Quando deu o horário fomos todos até o ponto de encontro e recebemos uma série de instruções e papéis que tornaram-se MUITO úteis durante a viagem. Alguns deles já mostrei em postagens aqui do blog, como o cronograma de horários do trem, a tabela de preço dos táxis, alguns papéis com atividades para se fazer em Manhattan… Enfim!

Estávamos em um grupo gigante, mais de 100 pessoas! Para isso, nos dividiram em grupos e cada grupo tinha um guia. Aos poucos fomos saindo do local e nos dirigindo até a estação de trem de Tarrytown, mas não sem antes fazer uma parada pra foto!

IMG-20150706-WA0009

Todos brasileiros, menos a última menina que é italiana!

Chegando na estação de trem atravessamos uma passarela e fomos parar em uma ilha entre dois trilhos. Não demorou muito e começamos a escutar o barulho do trem chegando! Logo que entramos sentimos pela primeira vez a sensação do paraíso do ar-condicionado (clique aqui para ler mais sobre o trem)! No caminho tentei tirar algumas fotos do rio Hudson mas a janela estava suja…

DSC05548

Aproveitei o tempo dessa viagem no trem para passar protetor solar. No verão é indispensável! O sol é bem forte e você pode passar horas queimando se não tomar cuidado!

O caminho parecia interminável. Estava super ansiosa e animada para conhecer Manhattan, ver com meus próprios olhos tudo aquilo que já havia visto mil vezes em filmes, fotos, vídeos. Algum tempo depois finalmente chegamos na Grand Central Station. Eu não conseguia acreditar que estava lá e, enquanto tirava fotos, a única coisa que eu conseguia imaginar eram os bichos do filme Madagascar… Hahaha! Brincadeiras a parte, esse foi o único dia que tirei foto da Grand Central. Seja pela correria para pegar o trem ou pela desculpa do “depois eu tiro”, acabei não tirando mais nenhuma foto.

(Clique nas imagens para ampliá-las)

Tiramos uma grande foto em grupo que prometeram que seria postada na página da EF no Facebook, mas nunca esteve lá…

Aos poucos fomos indo para o lado de fora e, pela primeira vez, estava pisando em Manhattan. Foi mágico, animador, intenso, tudo ao mesmo tempo! Enquanto seguia o grupo aproveitei para tirar algumas fotos da Big Apple.

DSC_0025

WhatsApp-Image-20160525 (11)

O ingresso

Andamos um bom trecho até que chegamos ao Rockfeller. Não tirei fotos do lado de fora, mas em compensação tirei MUITAS fotos do topo, carinhosamente apelidado de Top of the Rock.

Ao entrar no prédio passamos por um detector de metais, tiramos uma foto em grupo e pegamos uma fila para subir com o elevador. Uma dica: enquanto estiver lá dentro preste atenção no teto!

 

IMG-20150721-WA0000

A foto é bem zoada, mas o que vale é a recordação!

Assim que chegamos no topo foi uma experiência inacreditável. Até ali eu não tinha me dado conta de onde eu estava, parece que a ficha ainda não tinha caído. Foi quando eu vi tudo aquilo de cima que eu percebi: eu realmente estava em New York, New York!

IMG_0192

Saindo de lá nos dividimos em dois grupos. Um foi para a Times Square e o outro, o qual eu estava, foi para a Apple Store! Andamos vááários quarteirões até chegar lá. Nos primeiros dias, isso é um pouco cansativo mas com o tempo você acaba acostumando. Na última semana andei praticamente por todo o sul de Manhattan sem precisar parar para pegar fôlego!

DSC_0035

O prédio de vidro é um ponto turístico!

IMG-20150706-WA0016

Acredite: o que mais tem nessa foto são brasileiros!

 

Enquanto alguns dos brasileiros faziam suas compras eu aproveitei para comer um dos típicos cachorros-quentes daqueles food-trucks novaiorquinos! Estava uma delícia! Não fique se preocupando muito com a limpeza desses carrinhos, o que importa, no final das contas, é o sabor e a experiência!

Depois disso voltamos a pé para a Grand Central. Foi uma longa caminhada, mas como eu já disse, com o tempo você acaba acostumando e criando espírito de viajante! Chegamos a tempo de pegar o trem que queríamos para chegar mais ou menos 22:00 no Campus. Estávamos todos muito cansados, mas como já disse em outra postagem, NÃO DURMA NO TREM! Chegando lá pegamos um táxi para não ter que subir o morro e fomos direto para nossos quartos, super cansados porém felizes! Muito felizes!

Aproveitei para verificar meus horários do dia seguinte que já estavam disponíveis e descobri que havia sido classificada como B-2 em proficiência no inglês (se quiser saber mais sobre como isso funciona, clique aqui)!! Minha roommate mexicana estava na mesma sala que eu, o que nos deixou muito felizes e aliviadas em saber que conheceríamos pelo menos uma pessoa dentro da sala… Não preciso nem falar que fazíamos nosso dever juntas e trocávamos experiências dentro da sala de aula naturalmente, sem ter medo algum.

Depois de um longo e renovador dia fomos dormir, com a certeza de que experiências ainda melhores estavam por vir!

Espero que tenha gostado da postagem! Posts novos toda segunda-feira!

See you!!

 

Talvez você goste também de: